quarta-feira, 11 de julho de 2012

“O bom da vida é recomeçar: Aprender com os erros, pedir e ofereçer perdão, aceitar as mudanças e aproveitar as oportunidades de cada amanheçer.”

Porque a vida é tão curta e alguns momentos são tão intensos. Em um só um instante, ou em um ato, podem influenciar uma existência inteira. Então chegou a minha hora de prestar mais atenção nisso, já que a vida não tem um botão de "rebobine".

terça-feira, 10 de julho de 2012

"Querida Claire,
‘E’ e ‘se’ são palavras que, por si, não apresentam nenhuma ameaça. Mas, se colocadas juntas, lado a lado, elas têm o poder de nos assombrar a vida toda. E se… E se… E se…
Eu não sei como a sua história terminou, mas se o que você sentia naquela época era verdadeiro amor, então nunca é tarde demais. Se era verdadeiro então, por que não seria agora? Você só precisa de coragem para seguir seu coração.
É difícil imaginar um amor como o de Julieta, um amor que nos faça abandonar entes queridos, que nos faça cruzar oceanos. Mas eu gostaria de acreditar que se eu um dia sentir esse amor, terei coragem de perseguí-lo. E, Claire, se não o fez naquela época, espero que ainda o faça um dia. Com todo amor, Julieta."


Do filme "Cartas para Julieta", um dos filmes mais "água com açúcar" que eu já assisti, mas com certeza um dos mais lindos, com cenários lindos da Itália, muito bonitinho.
E aquele pensamento de que, ás vezes, você quer tanto proteger que acaba afastando? Morrer sufocado me parece péssimo, mas morrer sem ser amado me parece ser algo a se considerar.
Ás vezes o necessário é afrouxar as redias, não significa que não ama mais, não significa que não é mais importante, significa que há confiança suficiente, significa que são maduros suficientes pra saber lidar com altos e baixos da vida, que vão ocorrer diferenças, mas que isso não vai causar impacto no mais importante e no que os une: O amor.


"O amor é paciente, é bondoso; o amor não é invejoso, não é arrogante, não se ensoberbece, não é ambicioso, não busca os seus próprios interesses, não se irrita, não guarda ressentimento pelo mal sofrido, não se alegra com a injustiça, mas regozija-se com a verdade; tudo desculpa, tudo crê, tudo espera, tudo suporta".